Atualizando informações ...

Humberto de Campos - Poesias Completas

Ref: 9788563876560
Marca: Tinta Negra
Data de lançamento: 22/11/2018

Por:
R$ 34,20

ou 3x de R$ 11,40 Sem juros Cartão Amex - Vindi
 
* Aqui sua compra é 100% segura, compre com tranquilidade.
Simulador de Frete
- Calcular frete
Frete e prazo de entrega
Descrição Geral

Sinopse:
Os poemas revelam outro Humberto de Campos: romântico e melancólico. Neles, prevalecem os temas amorosos, sem nenhum resquício de humor e de informalidade. Mais uma prova da multiplicidade e da energia criativa desse que é um dos mais geniais autores brasileiros do século XX, e que enfim retorna às livrarias, 80 anos após sua morte.

Temas:
Ficção, mistério e fantasia

Gênero:
Conto, Crônicas

Literatura:
Brasileira

Organizadora:
Aline Haluch

Autor:
Humberto de Campos

Projeto Gráfico:
Studio Creamcrackers

Páginas:
86

Acabamento:
Brochura

ISBN:
9788563876560

Ano de Edição:
2014

Idioma:
Português

Produto Digital:
Não

Dimensões:
14 x 21 cm

Editora:
Tinta Negra

Sobre a Autor:
Humberto de Campos Veras nasceu em Miritiba, atual Humberto de Campos, Maranhão, em 1886. Autodidata, escreveu quarenta volumes que abrangem poesia, contos, crônicas, memórias, crítica literária e artigos para jornais e revistas. Foi jornalista, crítico, contista e memorialista. Com a morte do pai, aos seis anos, mudou-se para São Luís. De infância pobre, desde cedo começou a trabalhar no comércio como meio de subsistência. Aos 17 anos muda-se para o Pará, onde conseguiu um lugar de colaborador e redator na Folha do Norte e, pouco depois, na Província do Pará. Em 1910 publicou seu primeiro livro, a coletânea de versos intitulada Poeira, primeira série. Em 1912 transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde foi redator do jornal O Imparcial. Em 1923, substituiu Múcio Leão na coluna de crítica do Correio da Manhã. Humberto de Campo foi eleito para a Academia Brasileira de Letras em 30 de outubro de 1919 e, em 1920, já acadêmico, foi eleito deputado federal pelo Maranhão. Em 1933, com a saúde já debilitada, publicou o livro que se tornou o mais célebre de sua obra, Memórias (1886-1900), crônicas das suas lembranças de infância e juventude. O seu Diário secreto, de publicação póstuma, provocou grande escândalo pela irreverência e malícia. Autodidata, Humberto de Campos foi um poeta neoparnasiano. Poeira é um dos últimos livros da escola parnasiana no Brasil. Faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 5 de dezembro de 1934.

Produtos visualizados

Carregando ...